25 Feb 2010

tao te king

I
O Tao que se procura alcançar não é próprio Tao; o nome que se lhe quer dar não é o seu nome adequado. Sem nome, representa a origem do universo; com um nome, torna-se a Mãe de todos os seres. Pelo não-ser, atinjamos o seu segredo; pelo ser, abordemos o seu acesso. Não-ser e Ser saindo de um fundo único só se diferenciam pelos seus nomes. Este fundo único chama-se Obscuridade. Obscurecer esta obscuridade, eis a porta de toda a maravilha. ......................................................................................................
Le Tao que nos essaya attinger non es le proprie Tao;
le nomine que nos vole dar lo non es su nomine adequate. Sin nomine, illo representa le origine del universo; con un nomine, illo deveni le Matre de tote le esseres. Per le non-esser que nos attinge su secreto; per le esser que nos aborda su accesso. Non-esser e esser sortiente de un sol fundo a pena se differentia per su nomines. Iste sol fundo se appella Obscuritate. Obscurar iste obscuritate, ecce le porta de omne meravilia.
_________________________________________________
II
Todos consideram o belo como belo, é nisso que reside a sua fealdade. Todos consideram o bem como bem, é nisso que reside o seu mal. Porque o ser e o nada engendram-se o fácil e o difícil completam-se o longo e o curto formam-se um pelo outro. O alto e o baixo tocam-se. A voz e o som harmonizam-se. O antes e o depois sucedem-se. Por isso o santo adopta a táctica do não agir, e pratica o ensino sem palavra. Todas as coisas do mundo surgem sem que ele seja o autor. Produz sem se apropriar, age sem nada esperar, acabada a sua obra, a ela se não prende, e porque a ela se não prende, a sua obra permanecerá. ......................................................................................................
Omnes considera lo belle como belle, es in isto que sta su feditate. Omnes considera le ben como ben, es in isto que sta su mal. Proque le esser e le nil se genera, lo facile e lo difficile se completa, lo longe e lo curte se forma le un le altere. Lo alto e lo basso se tocca. Le voce e le sono se harmonisa lo ante e lo depost se succede. Pro isto le sancto adopta le tactica del non ager e practica le inseniamento sin parola. Tote le cosas del mundo surge sin que ille sia lor autor. [Ille] produce sin se appropriar, age sin ulle sperar, [un vice] finite su obra, a illo ille non se attacha, e proque a illo ille non se attacha, su obra remanera. _________________________________________________
[Lao Tse, Tao Te King, Lisboa, 1977]

No comments:

Post a comment