7 Feb 2010

colombo e o ovo

O ovo de Colombo
Le ovo de Columbo
Toma Macovei
___________________________________________________
Por volta de finais do séc. XV, pouco tempo depois da descoberta do Novo Mundo – a futura América – pelo navegador Cristóvão Colombo, por todo o lado não se falava de outra coisa que não das novas regiões descobertas.

Certa ocasião em que Colombo se encontrava numa festa, surgiu mais uma vez a discussão sobre a descoberta das novas regiões. Então, um dos convivas, cheio de inveja e malícia, disse:
— Não percebemos por que razão se faz tanto caso dessa dita grande descoberta. Nada mais simples do que isso.
— Como assim? — perguntou Colombo calmamente.
— Isso deve ter sido apenas uma questão de te ter vindo à mente, assim... ir sobre água, em linha recta, e sempre em frente... E foi tudo.

Sobre a mesa havia alguns ovos cozidos; Colombo agarrou num deles, sorriu, virou-se para os que o difamavam e disse-lhes:
— Qual de vós consegue fazer com que este ovo se segure de pé no alto de uma das vossas cabeças?

Os seus companheiros tentaram alternadamente, mas nenhum deles conseguiu, tendo todos desistido de conseguir o feito. Então, Colombo agarrou no ovo e, batendo com uma das pontas numa das esquinas da mesa, achatou-o um pouco e colocou-o de pé. Todos começaram a murmurar:
— M... as isso também nós sabíamos! Nada mais simples!
— Certamente que sim! — retorquiu Colombo, sorrindo maliciosamente. — Nada mais simples. Exactamente como aconteceu com a descoberta das novas regiões. Tudo o que tendes a fazer é apenas fazer aparecer isso na vossa mente... e pô-lo em aplicação.
___________________________________________________
Ab circa le fin del XV-e seculo, curte tempore post le discoperta del nove mundo – le America futur – per la grande navigator Christophoro Columbo ubique le homines non habeva altere subjecto de discussion que le nove regiones.
Unquam, quando Columbo se trovava a un partita de placer, emergeva de novo le discussion re le discoperta del nove regiones. Alcuno inter le convivas, maximo invidiose e plen de malitia, diceva.

- "Nos non comprende proque on face tante caso pro iste si-dicite grande discoperta? Nihil ha essite plus simple que arrivar a illo."

— "Como assi?" Demandava Columbo calmemente.

— "Illo ha debite solmente venir a tu pensata , assi… ir sur le aqua rectemente in avante…. e isto ha essite toto."

Sur le tabula era qualque ovos cocite. Columbo prendeva un ovo, surrideva e diceva a illes qui le diffamava:

— "Qui inter vos pote facer que iste ovo sta recte in alto sur un del capites?"

Illes essayava alternativemente omnes, sed necuno succedeva, e totes debeva renunciar. Tunc Columbo prendeva le ovo e, colpante lo contra le tabula a un capite, lo applattava un pauco e lo establiva rectemente.
Omnes comenciava critar:

— "S....ed, isto anque nos sapeva ! Nihil plus simple."

— "Certo que si!" les respondeva Columbo, surridente ludificantemente, — "nihil plus simple — exactemente como anque le discoperta del nove regiones. Vos debe solmente facer isto apparer in vostre pensata… E poner lo in application."

[Tradução livre do conto «Le ovo de Columbo», de Toma Macovei, inserido no livro Joieles spiritual (Jóias espirituais), publicado em 1995 pelo Servicio de Libros UMI e com ilustração de Henrik Breinstrup]

No comments:

Post a Comment